sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Diretora do Museu Julio participa de reunião com secretário especial da Cultura



A diretora do Museu Julio de Castilhos, Doris Couto, participou de uma reunião com o secretário especial da Cultura, Henrique Pires. O encontro aconteceu em Brasília na tarde de ontem (1/8).

A reunião teve como assunto principal o Projeto de Restauro e a construção de um novo prédio para o museu, que receberia a Reserva Técnica da instituição. O projeto será apresentado em editais do Governo Federal, além de tramitar no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, encaminhado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae).

A diretora do Museu afirmou estar esperançosa sobre a tramitação dos projetos, e que " se abrem novas possibilidades que são fundamentais para que o Museu possa assegurar as obras necessárias a sua reestruturação a fim de apresentar com dignidade suas ricas e variadas coleções".

Também estiveram presentes o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Paulo Amaral, e o diretor do Fundo de Direitos Difusos do Ministério da Justiça, Felipe Sigollo.


quarta-feira, 31 de julho de 2019

Cine Clube MJC - Netto Perde Sua Alma | Ciclo Tabajara Ruas | 8/8, às 19h








Na primeira quinta feira de agosto (8/8) acontece mais uma edição do Cine Clube MJC. O filme da vez é Netto Perde sua Alma, do cineasta gaúcho Tabajara Ruas. A sessão começas às 19h, com entrada franca.




Netto Perde Sua Alma

Antônio de Souza Netto é um general brasileiro que é ferido em plena Guerra do Paraguai e agora está se recuperando no Hospital Militar de Corrientes, na Argentina. Lá ele percebe que coisas estranhas estão ocorrendo ao seu redor, como o capitão de Los Santos acusar o cirurgião de ter amputado suas pernas sem necessidade e reencontrar um antigo camarada, o sargento Caldeira, ex-escravo com quem lutou na Guerra dos Farrapos, ocorrida algumas décadas antes. Juntamente com Caldeira, Netto rememora suas participações na guerra e ainda o encontro com Milonga, jovem escravo que se alistara no Corpo de Lanceiros Negros, além do período em que viveu no exílio no Uruguai.

Cine Clube MJC

O Cine Clube MJC é uma iniciativa do Museu Julio de Castilhos, com o intuito de promover a cultura e o cinema no Rio Grande do Sul. O atual ciclo é composto por filmes do diretor e cineasta Tabajara Ruas, e acontece até setembro de 2019 na sede do Museu.


segunda-feira, 15 de julho de 2019

Museu Julio recebe bate-papo sobre racismo no futebol


O Museu Julio de Castilhos (MJC) recebeu, na última sexta-feira (12/7), um bate-papo sobre racismo no futebol. A conversa contou com a participação da conselheira da Associação Negra de Cultura (ANDC), Maria Cristina Ferreira dos Santos, do criador do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, Marcelo Carvalho,  do pesquisador da cultura africana e consultor cultural do MJC, Mestre Cica de Oyó e do  servidor publico do estado, historiador/analista de assuntos culturais do MJC, Claus Farina que atuou como mediador. Entre os tópicos discutidos estavam a presença da mulher no futebol, a várzea, e a participação dos clubes e da mídia no combate ao racismo.

O evento marcou o encerramento da exposição sobre a Liga da Canela Preta.













Curso de Organização de Reservas Técnicas


O Museu Julio de Castilhos e a Associação dos Amigos do Museu Julio de Castilhos oferecem, no mês de agosto (5-24/8), um curso sobre organização de reservas técnicas baseado no sistema RE-ORG. São 40 horas distribuídas entre teoria e prática, com emissão de certificado de participação.

O curso é destinado a estudantes de Museologia e técnicos responsáveis por reservas técnicas. O valor do curso é de R$ 100,00 para estudantes e R$ 180,00 para instituições.

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail museujuliodecastilhos@gmail.com

Para mais informações, ligue (51) 30212-9035.



quinta-feira, 11 de julho de 2019

Alunos de Museologia da UFRGS entregam dossiê sobre conservação de peças do Museu

Os alunos de Museologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) apresentaram, na tarde de hoje (11/7), um dossiê sobre conservação de peças do Acervo do Museu Julio de Castilhos (MJC). O documento foi uma proposição dos alunos da disciplina de Práticas de Conservação Preventiva, obrigatória para o terceiro semestre do curso.

Em maio, o grupo de estudantes veio analisar o acervo de uma das reservas técnicas do MJC. Eles estudaram peças distintas com o intuito de observar de forma ampla a ação de diversos agentes de deterioração. Hoje, os alunos vieram oficializar a entrega do documento.

A professora responsável, doutora Jeniffer Cuty, agradeceu o comprometimento dos alunos e falou sobre o processo de elaboração do dossiê e seu conteúdo. “Ele contém fichas de objetos de materialidades distintas. Isso é importante porque a materialidade é o centro das questões da conservação, já que cada material tem um comportamento. Esse dossiê também tem um estudo sobre os agentes de deterioração e um laudo de danos e processos de degradação”, explicou Jeniffer.

A coordenadora do curso de Museologia da UFRGS, doutora Ana Celina Figueira da Silva, agradeceu à equipe do MJC por acolher o projeto dos alunos. “Tenho um carinho muito grande pelo Museu, que é meu objeto de pesquisa. Agradeço a equipe pela abertura das portas da instituição, que é a instituição mais antiga do estado, que é relevante inclusive para a formação de outros museus. Que essas trocas continuem se estabelecendo, que a gente continue nessa parceria”, disse a professora.

Também esteve presente no evento de entrega a bibliotecária-chefe da Biblioteca da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (Fabico), Miriam Moema Loss. Ela recebeu um exemplar do dossiê em nome da biblioteca.

O documento foi recebido pela diretora do MJC, museóloga Doris Couto. Doris enfatizou a importância da parceria entre o Museu e a UFRGS. “Vocês viram o trabalho gigantesco que temos aqui no museu. É um trabalho que não vai terminar nunca. E agora a gente vai poder aproveitar muito o trabalho de vocês. As peças que foram analisadas por vocês poderão receber a nossa dedicação já baseada nos laudos produzidos, serão peças que com certeza ganharão um tratamento mais adequado”, enfatizou a museóloga.

















terça-feira, 25 de junho de 2019

Cine Clube MJC - Ciclo Tabajara Ruas "A Cabeça de Gumercindo Saraiva", estréia nesta quinta-feira, dia 27/06/2019, às 19h - Entrada Franca





Nesta quinta-feira, dia 27 de junho de 2019, às 19h, no Museu Julio de Castilhos, rua Duque de Caxias, 1205, estréia o Cine Clube MJC com o filme "A Cabeça de Gumercindo Saraiva" marcando o início do Ciclo do cineasta gaúcho Tabajara Ruas.
#museujulio

O Cine Clube MJC é mais uma oportunidade na cidade para se assistir cinema de boa qualidade. Na estreia, exibiremos um ciclo de filmes do cineasta gaúcho Tabajara Ruas, Confira abaixo a programação que vai de junho a setembro. As sessões começam sempre às 19h e a entrada é franca.

27/06/2019 - A Cabeça de Gumercindo Saraiva
25/07/2019 - Os Senhores da Guerra
08/08/2019 - Netto Perde Sua Alma
29/08/2019 - Brizola, Tempos de Luta
26/09/2019 - Netto e o Domador de Cavalos
Após as sessões, o diretor conversará com o público presente.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Liga da Canela Preta: Racismo no Futebol




Liga da Canela Preta: Racismo no Futebol

“Muito se falou sobre a Liga da Canela Preta no nosso futebol, inclusive foi manchete num dos principais programas esportivos do Brasil, o Esporte Espetacular, da Rede Globo. Mas pouco se sabe sobre ela, e menos ainda se pesquisou. A história do futebol no meio popular porto-alegrense, nomeadamente negro, é uma das páginas mais desconhecidas e controversas do esporte.” (p.15)

O livro “Liga da Canela Preta – A História do Negro no Futebol”, do historiador José Antônio dos Santos, é a primeira obra séria a respeito e, conforme Jones Lopes da Silva, “vem esclarecer fantasias, informações desencontradas, afirmações não comprovadas e narrativas consagradas a respeito”.

O trabalho de José Antônio demonstra que não existiu apenas uma liga de futebol das classes populares, entre as décadas de 1910 e 1920, em Porto Alegre. Existiram ao menos quatro, o que nos leva a pensar em “Ligas dos Canelas Preta”, como forma de resistência em um período cujo encobrimento e ocultação eram táticas utilizadas pelos senhores do poder como tentativa de apagar a presença cultural da população negra.  


Apresentação do livro "Liga da Canela Preta - A História do Negro no Futebol", do historiador José Antônio dos Santos, com participação do autor, de Marcelo Carvalho, do Observatório do Racismo no Futebol, e do ex-árbitro da FGF e comentarista de arbitragem, Marcio Chagas da Silva.
Intervenção poética de Bruno Negrão.

Entrada Franca

Local: Espaço Corag do Museu da Comunicação Hipólito José da Costa - Rua Caldas Junior, 261

Exposição de Banners sobre a Liga da Canela Preta no Museu Julio de Castilhos, rua Duque de Caxias 1205 de 13/06/2019 a 13/09/2019. 

Entrada Franca