quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Faça Valer suas Ideias!!!

VENHA PARTICIPAR DA GESTÃO DO MUSEU JULIO DE CASTILHOS 

O Museu Julio de Castilhos estará renovando a direção da Associação de Amigos no início de dezembro e convida a todos os interessados a integrarem este processo eletivo.

A Associação de Amigos do Museu Júlio de Castilhos - AJUCfundada em 20 de outubro de 1983, é uma entidade civil sem fins lucrativos, com sede na instituição, tem por finalidade colaborar com as ações do Museu Julio de Castilhos, em consonância com as diretrizes estaduais e federais da área da Cultura.
A participação do público é fundamental.

Faz parte das ações da Associação e seus amigos, propor e promover atividades culturais em parceria com a direção do Museu, participar dos eventos oficiais e culturais promovidos pela instituição, convidar novos amigos para integrar a associação, ajudar nos eventos culturais promovidos pelo museu, administrar, em  harmonia com a direção da casa, economias arrecadadas. Mais que tornar-se um amigo/a associado/a, você integra um grupo de pessoas que tem interesse em trabalhar pela cultura contribuindo para mantê-la viva e fortalecida. 

PARA PARTICIPAR...Você poderá individualmente propor seu nome para constituir uma função no quadro da associação, ou, em grupo, propor uma chapa para assumir a direção da Associação de Amigos do Museu Julio de Castilhos. Para mais informações, encaminhe e-mail com Nome e Telefone para museujuliodecastilhos@gmail.com

Todos deverão ser previamente associados ao valor de anuidade de R$ 50,00 por pessoa, sendo que estudantes pagam 50% menos.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

ARQUEARIA ÚLTIMA CHANCE!


A Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer e o Museu Julio de Castilhos convidam para as duas últimas edições da oficina
ARQUEARIA - HISTÓRIA E PRÁTICA que será conduzida por Ramoim Beledelli Pase, instrutor pela Roberts Brasil Tiro com Arco, certificado pela Archery Great Britain, construtor de arcos, praticante e pesquisador de arqueria há mais de 10 anos.

A oficina será composta de uma parte teórica de aproximadamente 20 minutos - onde é apresentado o equipamento, a evolução histórica da arquearia, paralelos com o acervo do museu relativo ao tema - e logo depois, o participante terá a experiência prática, lançando aproximadamente 20 flechas, em local preparado com segurança, no Jardim dos Canhões do Museu Julio de Castilhos.

Turmas independentes, com vagas limitadas, dia 11 de novembro
nos horários de 15 e 17 horas. 

Para reservas de vagas, entre em contato com a secretaria do Museu no e-mail museujuliodecastilhos@gmail.com 

Inscrição com materiais: R$ 20,00 acertados no início da oficina

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES PARA OS PARTICIPANTES


1. Os inscritos deverão assinar um termo de compromisso onde declaram estarem de acordo a seguir rigorosamente as orientações do instrutor, atendendo todas as regras de segurança previstas na legislação vigente, conforme a Federação Gaúcha e Confederação Brasileira de Tiro com Arco.

2. A inscrição tem um custo de R$20,00, onde arcos, flechas, alvos e equipamentos de segurança serão emprestados aos participantes. Cada arqueiro terá uma imersão na prática do arco e flecha, onde poderá usufruir de aproximadamente 20 disparos. 

3. Os arqueiros receberão orientações técnicas de manuseio e de segurança onde em hipótese alguma poderão infringi-las, sob o risco de serem retirados da oficina, sem nenhum tipo de reembolso.

4. Oficina dirigida para público adulto maior de 16 anos.

O Fado - Patrimônio Imaterial da Humanidade




Grupo Alma Lusitana apresenta clássicos do fado no Museu Júlio de Castilhos
O grupo porto-alegrense Alma Lusitana – Fado e Música portuguesa apresentará grandes clássicos do fado no dia 18 de novembro, a partir das 19 horas, no Museu Julio de Castilhos.
No repertório do espetáculo “Melodias que uniram a história de dois continentes” estarão canções imortalizadas por Amália Rodrigues e outras importantes personalidades que fizeram do fado um estilo musical considerado patrimônio imaterial da humanidade.
Apostando na proximidade com os músicos e no ambiente intimista de uma sala que já presenciou importantes momentos da história, a intenção é proporcionar ao público a sensação de estar prestigiando uma autêntica noite de fados em alguma viela de Portugal.
O projeto é uma parceria entre o Museu Júlio de Castilhos e a Sete Marias Produtora, com o apoio da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do RS.
Os ingressos são limitados e podem ser adquiridos através do link http://bit.ly/2zpQorU
Desde 2005, o grupo Alma Lusitana busca - a partir da musicalidade brasileira no arranjo e interpretação das canções - divulgar a música portuguesa como uma das fundadoras do nosso cancioneiro e folclore.
A voz é da cantora Julia Machado, acompanhada por Jéferson Luz na guitarra portuguesa, Pedro Rodrigues no violão e Maurício Montardo no teclado.
Serviço:
Melodias que uniram a história de dois continentes com o grupo Alma Lusitana Fado e Música Portuguesa
Dia: 18 de novembro de 2017 (sábado)
Horário: 19h
Local: Museu Júlio de Castilhos - Rua Duque de Caxias, nº 1205 - Centro Histórico - Porto Alegre/RS
facebook.com/almalusitanabr
facebook.com/museujc


A imagem pode conter: texto



terça-feira, 24 de outubro de 2017

80 ANOS ESTADO NOVO É A NOVA EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA

Em 10 de novembro de 1937, 80 anos atrás, através de um golpe de estado, Getúlio Vargas institui o Estado Novo num pronunciamento por rádio, através do qual faz um "Manifesto à Nação" determinando o fechamento do Congresso Nacional do Brasil e outorgando uma nova Constituição, que dá controle total ao poder executivo e nomeia interventores aos estados. Essa constituição, elaborada por Francisco Campos, ficou conhecida como a "Polaca" por ter se inspirado, na época, na constituição da Polônia.

Considerando as transformações que este período trouxe para o Brasil e para a história, o Museu Julio de Castilhos não poderia deixar de mostrar um recorte de seu acervo relativo à época e recebe seus visitantes com esta nova exposição temporária que faz foco na figura de Getúlio Vargas e a Constituição de 37.

Além da exposição temporária 80 Anos Estado Novo, o Museu tem as exposições permanentes dos acervos relativos à Revolução Farroupilha, Esculturas Missioneiras, Panorama Indígena Gaúcho, Jardim dos Canhões e o Quarto de Julio de Castilhos, em percursos da histórica casa tombada patrimônio histórico.

VISITAÇÃO
De terças a sábados, das 10 às 17 horas.



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Piano Romântico Gratuito


No próximo dia 28 de outubro, o Museu Julio de Castilhos estará oferecendo aos seus visitantes, gratuitamente, a partir das 15 horas, a apresentação Serenata Apaixonada, melodias ao piano, na interpretação de Antonio Augusto A. Medeiros e Albuquerque.


O pianista apresentará clássicos populares e composições próprias,  no auditório de entrada da instituição, num formato informal e agradável, recepcionando o público que visita o Museu, com a opção de sentar-se e apreciar ou fazer sua visitação com esta trilha sonora que se harmoniza com os ambientes expositivos.

Fica também um convite especial aos colegas do funcionalismo público para esta atividade que também homenageia o Dia do Funcionário Público.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

ARQUEARIA - HISTÓRIA E PRÁTICA



A Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer e o Museu Julio de Castilhos apresentam a oficina
ARQUEARIA - HISTÓRIA E PRÁTICA que será conduzida por  Ramoim Beledelli Pase, instrutor pela Roberts Brasil Tiro com Arco, certificado pela Archery Great Britain, construtor de arcos, praticante e pesquisador de arqueria há mais de 10 anos.

A oficina será composta de uma parte teórica de aproximadamente 20 minutos - onde é apresentado o equipamento, a evolução histórica da arquearia, paralelos com o acervo do museu  relativo ao tema - e logo depois, o participante terá a experiência prática, lançando aproximadamente 20 flechas, em local preparado com segurança, no Jardim dos Canhões do Museu Julio de Castilhos.

Turmas independentes dias 16 de setembro, 28 de outubro e 11 de novembro
nos horários de 15 e 17 horas. 

O participante que desejar, pode se inscrever em quantos dias e horários quiser, realizando o pagamento respectivo, de 20 reais por horário/data.

Para reservas de vagas, entre em contato com a secretaria do Museu no e-mail museujuliodecastilhos@gmail.com 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES PARA OS PARTICIPANTES

1. Os inscritos deverão assinar um termo de compromisso onde declaram estarem de acordo a seguir rigorosamente as orientações do instrutor, atendendo todas as regras de segurança previstas na legislação vigente, conforme a Federação Gaúcha e Confederação Brasileira de Tiro com Arco.

2. A inscrição tem um custo de R$20,00, onde arcos, flechas, alvos e equipamentos de segurança serão emprestados aos participantes. Cada arqueiro terá uma imersão na prática do arco e flecha, onde poderá usufruir de aproximadamente 20 disparos.

3. Os arqueiros receberão orientações técnicas de manuseio e de segurança onde em hipótese alguma poderão infringi-las, sob o risco de serem retirados da oficina, sem nenhum tipo de reembolso.

4. Oficina dirigida para público adulto maior de 16 anos.


terça-feira, 22 de agosto de 2017

O MUSEU NAS MÍDIAS

O Museu Julio de Castilho comemora a divulgação que vem alcançando na imprensa e aproveita para agradecer ao jornalistas e fotógrafos envolvidos.



Oficina de gastronomia em tempos de batalha, no Museu Julio de Castilhos. 
Foto: Guilherme Santos/Sul21

Lucas Rohan
A primeira iguaria que os participantes da oficina Comida de Batalha, que começou na noite da última sexta-feira (18) no Museu Julio de Castilhos, provaram foi o que o chef responsável definiu como “o ketchup/mostarda” da época. Djalma Souza Correia estuda a gastronomia medieval e trouxe o molho camelina para colocar à prova o paladar dos alunos na primeira aula de uma atividade que pretende integrar gastronomia com fundamentação histórica.
Cerca de 30 pessoas se inscreveram para aprender como os povos da época medieval se alimentavam. Djalma começou a se interessar pelo tema quando viveu no norte de Portugal e resolveu compartilhar as experiências para “divulgar a desmistificar” a Idade Média. “Se fizermos um paralelo entre a feijoada, por exemplo, vamos ver que não tem nada na feijoada de hoje que já não existisse naquela época”, comenta. “Gostas de mocotó, de carne de panela?”, questiona o cozinheiro, citando outros exemplos.
Reportagem na integra sobre a Oficina Comida de Batalhas