Acervo

O acervo hoje é composto de mais de 11 mil peças que são divididas em 29 coleções dentre elas: iconografia (pinturas, gravuras, fotos), indumentária (roupas, acessórios, modas de épocas), armaria (armas), etnologia (objetos relacionados à cultura indígena), escravista (objetos utilizados no período da escravidão), documentos, máquinas, utensílios domésticos, objetos de uso pessoal, missões, dentre outros também e não menos importantes. 
Para abrigar este grande acervo o Museu faz uso de duas reservas técnicas. Ambas possuem sistema de segurança (câmeras de vigilância) e equipamentos de controle de temperatura e umidade. Na Reserva Técnica 1 (RT 1) são utilização de 4 desumidificadores e mais um termo-higrometro para a medição das médias de temperatura e umidade do ar. Também são realizados trabalhos de higienização do acervo e confecção de embalagens de acondicionamento de acordo com o material da peça, enfim, atividades essenciais adotadas por muitos museus que visam a conservação do acervo.
Na Reserva Técnica 2 (RT 2) (tendo 40m² aproximadamente) estão acervos de fotografia, jornais e têxteis, materiais que por suas composições carecem de cuidados ambientais mais rigorosos.
Para a catalogação das peças do museu é utilizado um banco de dados informatizado que é alimentado constantemente com referencias de pesquisas de acervo e imagens permitindo aprimoramento e especialização na busca de peças e informações sobre elas. Para que se mantenha este nível de trabalho, nas reservas e no setor técnico, se faz necessário ter bons equipamentos como: computadores, scanner, máquina digital, impressoras, todos devidamente atualizados.
Arquivo
 Por motivo de seus 109 anos de existência, o Museu acumulou um grande volume de documentos, derivados de suas atividades de caráter museológico. Estes mesmos documentos institucionais são peças chaves para o resgate e memória da própria história do Museu e, para tanto, torna-se fundamental a existência do trabalho de organização desta documentação. A Arquivologia envolve o trabalho com documentos textuais e utiliza-se de métodos e princípios que norteiam o tratamento documental. Entre eles estão atividades de Avaliação, Seleção, Eliminação, Recolhimento e Descrição através da construção de instrumentos que orientam estas atividades como Planos de Classificação, Tabelas de Temporalidade, Termos de Eliminação e Instrumentos de Buscas e Pesquisas. Além destes, compreendem a implantação de medidas de conservação dos acervos.
Estas são algumas das principais etapas do trabalho arquivístico onde cada uma é composta de suas especificidades as quais devem ser amplamente estudadas e aplicadas no decorrer das atividades que forem sendo desenvolvidas.
O arquivo do Museu Julio de Castilhos é formado por documentos criados em razão de suas atividades e englobam os mais variados assuntos referentes às suas diferentes etapas museológicas. Faz-se necessária a aplicação de tais métodos em vista do diagnóstico que foi realizado, em que, há certa dificuldade na busca de documentos e assuntos específicos devido à organização que foi dada no decorrer das Gestões que vieram a formar o arquivo em questão.