sexta-feira, 11 de maio de 2018

Ayres e os Melódicos


O projeto Tempos da Música, do Museu Julio de Castilhos, recebeu na  quinta-feira, 10 de maio, Ayres & os Melódicos. O conjunto formado por Ayres Potthoff (flauta), Paulo Dorfman (piano), Luciano Albo (baixo), Manoel Peres (guitarra e voz) e Mateus Mussatto (bateria) traz no repertório música pop, standarts e choros, como um bom conjunto melódico que se preza, e, claro, J.S.Bach. O show ocorreu às 19h, no Salão Nobre, com ingressos a R$ 25,00 no local. Agora, o Museu dispõe de um bistrô para servir ao público.

Integram o conjunto Ayres & os Melódicos o pianista Paulo Dorfman, o baixista Luciano Albo, o guitarrista Manoel Peres e o baterista Mateus Mussatto. 

Entre as músicas de Ayres & os Melódicos estão Mornin' (Al Jarreau), Here comes the sun (Beatles), Chorinho pra ele (Hermeto Pascoal), De Bahia ao Ceára (Moacir Santos), In your eyes (George Benson), Red Baron (Billy Cobhan) e Air G String (Bach).

Uma dupla de história na cena musical do RS
Ayres & os Melódicos surgiu a partir do reencontro de músicos que se conheceram no tempo dos conjuntos melódicos, que animavam os bailes no Rio Grande do Sul. Lá pelos anos 1970, o guitarrista Manuel Peres, o pianista Paulo Dorfman e o flautista Ayres Potthoff tocavam em conjuntos diferentes, mas admiravam-se musicalmente. Naqueles anos, Ayres tocava contrabaixo, a flauta veio muito depois.

Com uma mãozinha do destino, eles se reencontraram no Curso de Licenciatura em Música do IPA e decidiram relembrar os bons tempos dos melódicos. Assim, juntamente com Luciano Albo e Matheus Mussato, formaram o conjunto pelo simples prazer de fazer boa música.

Ayres Potthoff se especializou com os flautistas Keith Underwood e Ransom Wilson, em Nova Iorque/Estados Unidos e, posteriormente, recebeu o título de Mestre em Flauta pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde estudou com Celso Woltzenlogel. É um dos fundadores da Associação Brasileira de Flautistas, organizador dos Festivais Internacionais de Flautistas do Rio de Janeiro e Porto Alegre e foi diretor Executivo da Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, grupo que fundou em 1985.

Com frequência, tem se apresentado em recitais ao lado de Celso Loureiro Chaves, Olinda Alessandrini e Maly Weisenblum, em países como Estados Unidos, França, Alemanha, Hungria, Noruega, República Tcheca, Peru e Equador, e como solista de diversas orquestras, entre as quais, a Orquestra Sinfônica Nacional do Equador, Orquestra da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, Orquestra Sinfônica Nacional de Lima e a Orquestra de Flautas do Japão. Lançou o CD RECITAL com a pianista Maly Weisenblum e, atualmente, é professor na Unisinos e no IPA/RS.

Não à toa chamado de Maestro pelos colegas, Paulo Dorfman é considerado um dos mais importantes nomes da música instrumental do Estado. Ao longo de sua trajetória, teve músicas gravadas em discos de Jorginho do Trompete, Claudio Sander, James Liberato e Pedrinho Figueiredo, entre outros. Possui obras no repertório de instituições como a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), a Orquestra Unisinos Anchieta e a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro.

Tempos da Música tem curadoria do pianista João Maldonado e acontece uma vez por mês, sempre às quintas-feiras, com músicos tocando/cantando/contando um período da história.

SERVIÇO
O quê: Tempos da Música | Ayres & os Melódicos.
Quando: 10 de maio | Quinta-feira.
Hora: 19h.
Onde: Museu Julio de Castilhos (Rua Duque de Caxias, 1205, Centro Histórico de Porto Alegre).
Ingressos: R$ 25,00 no local.