quarta-feira, 12 de novembro de 2014

FERROVIAS EM PERSPECTIVA


O INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO RIO GRANDE DO SUL conjuga-se com o MUSEU JÚLIO DE CASTILHOS para cumprir um dos mais caros objetivos da política cultural do estado: transversalizar a informação cultural, oferecendo ao público a presente publicação de RAFAEL LAUERMANN. Nesta “Ferrovias em Perspectiva“, LAUERMANN destaca o transporte ferroviário como fator de integração e desenvolvimento econômico no Rio Grande do Sul, o que explicita no subtítulo. Apoiando-se em cuidada bibliografia, aborda o tema com clareza e naturalidade.

Discute os conceitos de logística e de transportes; historia o processo de implantação e desenvolvimento do modal ferroviário no mundo, no Brasil e, particularmente, no Rio Grande do Sul; destaca seus efeitos no fomento ao mercado interno e à urbanização e examina criticamente a decadência da estrada de ferro em nosso país, abandonada pelos poderes públicos, afastada das políticas governamentais que optaram pelo oneroso transporte rodoviário.
Traz à discussão os sistemas de garantia de juros e o de arrendamento por longo prazo, mecanismos que o Brasil, no Império e na República, utilizou para atrair investimentos internacionais para viabilizar o transporte ferroviário.
Revela como Santa Maria tornou-se o centro ferroviário do estado e como, entre nós, se sucederam as diversas etapas do transporte pelo “trem” entre 1866 e 1957 e passa em revista os sucessos posteriores, como a RFFSA, a débâcle e a privatização.
Com a leitura da obra justifica-se porque a ferrovia foi tomada pelo imaginário da sociedade como sinônimo de progresso e modernidade e porque o sonho da ferrovia permanece na alma popular.
Uma das preocupações de LAUERMANN, atento à profunda impressão que o transporte ferroviário causou no ânimo do brasileiro, foi discernir o que, na consideração deste modal, é construção do senso comum e o que é obra do aprofundamento científico e o faz tendo como fio condutor as pautas da reflexão crítica.
O Autor retoma os estudos da ferrovia no âmbito amplo da integração geográfica e desenvolvimento econômico e social do estado e se duas das mais antigas instituições culturais do Rio Grande do Sul paraninfam a obra é por ser dever de ambas estimular o estudo, as pesquisas e as discussões que tenham como objeto o processo histórico sul-riograndense e o labor de LAUERMANN insere-se nesses objetivos.
MIGUEL FREDERICO DO ESPÍRITO SANTO
PRESIDENTE DO IHGRGS