terça-feira, 11 de novembro de 2014

"Isaura e Adelina – trajetórias de mulheres negras na Porto Alegre do século XIX”.

A exposição, com curadoria de Camila Ribeiro da Silva e Jane Rocha de Mattos a história de duas mulheres negras que viveram em Porto Alegre no século XIX, onde romperam com uma lógica imposta para uma maioria que sofria os desdobramentos do sistema escravista e patriarcal da sociedade brasileira. Adelina Lydia Bittencourt, professora formada pela Escola Normal no ano de 1889, e Isaura Dias Bittencourt, que frequentava os círculos da comunidade negra porto-alegrense, ligada às principais lideranças do jornal O Exemplo.
Cristina Camaratta Lins Bahia e Dinamara da Silva Prates participaram da abertura da exposição proferindo a palestra “Uma participação feminina e negra na redação  do jornal O Exemplo”. O evento contou com apresentação musical do Instituto Cadê Zumbí? , mm coletivo de agentes, multiplicadores e ativistas culturais no fomento e preservação das culturas como ferramentas pedagógicas de educação, sob a coordenação de Mateus Ceni de Oliveira. Também teve lugar uma intervenção artística do Coletivo Negração.