segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Acervo em Foco

O Museu Julio de Castilhos com o Acervo em Foco traz à mostra peças condecorativas de seu acervo, representativas de algumas Ordens e concessão de Graus, como premiação a cidadãos nacionais ou estrangeiros por fidelidade ao soberano ou serviços à sociedade.
Conforme o Banco Central do Brasil, a condecoração é um símbolo de distinção honorífica, representado por uma insígnia e distribuído pelos chefes de governo e instituições para agraciar pessoas físicas e jurídicas, por seus desempenhos nos processos de engrandecimento da nação ou no estreitamento de amizade entre os povos.
Este costume remonta à Antiguidade, quando, já entre os gregos, premiavam-se publicamente os feitos de guerra, as realizações civis e as vitórias desportivas.
Hoje, entre os diversos modos de premiação, as Ordens Honoríficas são os instrumentos mais utilizados pelos diversos países para homenagear os cidadãos.
Sua origem está diretamente ligada às Ordens da Cavalaria, organizações militares de caráter religioso, surgidas na Idade Média, que visavam a expansão do cristianismo. De estrutura hierárquica baseada na Igreja, seus integrantes utilizavam-se de insígnias com os símbolos das ordens para diferenciá-los em seus diversos postos.
No Brasil, as Ordens Honoríficas são regulamentadas por lei, que descreve sua insígnia e os métodos de agraciamento, e são, geralmente, formadas por cinco graus, nos quais as funções públicas existentes são classificadas hierarquicamente. Além desses graus, há, ainda, o de Grão Mestre, atribuído ao Presidente da República, a quem cabe, por decreto, nomear os membros das Ordens.
  Entre as Ordens mencionadas neste Acervo em Foco estão a Ordem de Cristo,  Ordem de São Bento de Aviz, Imperial Ordem da Rosa, Ordem Nacional do Mérito, Imperial Ordem do Cruzeiro do Sul e Ordem do Mérito Militar.
  Venha conferir!

Curadoria: Vanessa Becker Souza