quarta-feira, 27 de agosto de 2014

ACERVO EM FOCO - Agosto/2014

O ÚLTIMO CHARUTO DE GETÚLIO VARGAS

Neste ano de 2014, contam-se 60 anos da morte de um dos mais conhecidos e polêmicos presidentes da história do Brasil, Getúlio Dornelles Vargas. Nascido em São Borja, em 19 de abril de 1882, Vargas formou-se em Direito em 1907 e iniciou na carreira política ao lado de Borges de Medeiros, na década de 1920. Teve cinco filhos com sua esposa, Darcy de Lima Sarmanho.
Sábio, conseguiu manter-se no poder por 15 anos, sendo exilado de 1945 até 1951, quando foi eleito pelo voto do povo. Aclamado “o pai dos pobres” por instituir os direitos trabalhistas como salário mínimo e férias remuneradas, Getúlio também é lembrado como um ditador pelo modo autoritário em que governou o país.
Outra característica marcante de Vargas era o fato de sempre ser visto segurando um charuto Suerdieck nos momentos de descontração. Esse comportamento lhe era tão peculiar que, antes de suicidar-se, deixou um charuto junto com um bilhete sobre a mesa do escritório no Palácio do Catete, onde dizia que aquele seria o último a ser fumado.
A partir do dia 29 de agosto será possível encontrá-lo exposto na mostra O Sorriso do Velhinho que Fez a Gente Trabalhar, que se realiza no Museu Júlio de Castilhos, em memória à morte do presidente Vargas.

Curadoria: Kamyla Dias