terça-feira, 16 de outubro de 2012

Seminário Negros Pampa

O seminário Negros Pampa: Trajetórias de afrodescendentes no pós-abolição, recebeu em sua abertura, ontem, 15 de outubro, o Prof. Dr. Paulo Roberto Staudt Moreira. A palestra denominada "Aurélio era preto: trabalho, associativismo e capital relacional de um indivíduo pardo nos oitocentos", por ele ministrada,  enfatizou o protagonismo de um indivíduo negro, Aurélio Viríssimo de Bittencourt e de sua rede de relações em um contexto escravista e pós-abolicionista.


No último dia 16, na continuidade dos debates Negros Pampa: Trajetórias de afrodescendentes no pós-abolição, foram abordados pelos professores Dr. José Antonio dos Santos e Me. Arilson dos Santos Gomes, as trajetórias dos intelectuais negros, o advogado e editor do jornal O Exemplo (jornal da imprensa negra) Dario de Bitencourt (1901-1974), e de Carlos Santos (1904-1989) que foi o primeiro operário negro eleito como Deputado Estadual e, como presidente da Assembléia Legislastiva exerceu o Governo do Estado do Rio Grande do Sul.


No término, dia 17, as professoras Dra.Lúcia Brito Pereira e a Espec.Edianie Bardoni, desenvolveram a temática dos clubes e asssociações recreativas e educacionais negras - Floresta Aurora, Satélite Prontidão, Clube Marcílio Dias, ONG Maria Mulher e a Sociedade Flor do Sul -,  abordando as suas trajetórias como territórios negros e como se configuraram no decorrer do século XX como espaços de educação, sociabilidades e reafirmação de identidades.